Menu
Conta
Entrar / Registrar
Olá, seja bem-vindo(a) à loja virtual da Editora Monolito
  • Sidebar
  • Exibindo 1–12 de 44 resultados

Publicações

  • Design contemporâneo no Brasil #46/47

    R$231,00

    ou até 3x de R$77,00 sem juros

    A cena do design contemporâneo no Brasil, concentrada na criação de móveis e utensílios domésticos, despontou no final dos anos 1980, quando começou a aflorar a produção de nomes como os irmãos Campana, Carlos Motta e Claudia Moreira Salles em contraponto ao período moderno, de ícones como Joaquim Tenreiro, Sergio Rodrigues e Michel Arnoult, revigorados na atualidade. Desde então, o cenário contemporâneo adquiriu maturidade, os pioneiros ganharam a companhia de mais de uma centena de destacados colegas e o significado do design foi ampliado: hoje ele pode ser arte, ferramenta de transformação ou denúncia. Entre inúmeros atores – como escolas, especialistas, eventos, galerias e mídia –, o setor é organizado por um tripé, em que o designer é um dos pontos de apoio, equilibrando-se com outros dois protagonistas: a indústria e o varejo.

  • Aflalo & Gasperini: o desenho da cidade

    R$98,00

    ou até 3x de R$32,67 sem juros

    Aflalo & Gasperini completa 50 anos em plena atividade. A equipe liderada por Gian Carlo Gasperini, Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo atravessa uma das fases mais produtivas, com edifícios de diversas escalas e usos. Contudo, há uma concentração de enormes conjuntos de uso misto de até 600 mil metros quadrados de área construída. Mais que a escala, o que chama a atenção no trabalho atual da equipe é o foco no desenho da cidade, criando espaços de uso público que atravessam diferentes empreendimentos privados.

  • SKR, 30 anos: construindo a paisagem

    R$98,00

    ou até 3x de R$32,67 sem juros

    Em 30 anos, a SKR entregou cerca de 550 mil metros quadrados, entre empreendimentos comerciais e residenciais. Se ao longo de sua trajetória a incorporadora se adaptou à economia oferecendo produtos diversos ao mercado paulistano, os temas que a pautaram foram da pesquisa de materiais à reciclagem de edifícios. Suas obras agrupam tipologias com a mesma energia que dialogam com a cidade, ensaiando um discurso em parcerias com arquitetos de diferentes gerações, do veterano Gian Carlo Gasperini aos jovens do FGMF.

  • Bernardes Arquitetura #44/45

    R$231,00

    ou até 3x de R$77,00 sem juros

    Com apenas sete anos de vida, a Bernardes Arquitetura firma-se como um dos mais ativos escritórios do Brasil, apoiando-se no tripé arquitetura, interiores e gestão. Escrevendo um novo capítulo da relação do setor com sua família, que produziu três gerações de projetistas, Thiago Bernardes percorre um caminho próprio, sem deixar de beber nesse rico legado. Amparado por quatro sócios e uma equipe de cerca de 70 colaboradores, Thiago atende desde pequenos projetos institucionais, de maneira voluntária, até enormes casas para algumas das famílias mais apatacadas do país.

  • SuperLimão #43

    R$115,50

    ou até 3x de R$38,50 sem juros

    Dirigido por sócios com formações multidisciplinares, o SuperLimão é um estúdio paulistano de arquitetura, interiores e design cuja produção se pauta pela experimentação, aliando o movimento maker à sustentabilidade. Além de mobiliário e produtos, eles criam espaços de lazer, comércio e moradia. Criada há mais de uma década e meia, a organização evolui sem personalizar a autoria de seus sócios, Antonio Carlos Figueira de Mello, que comanda a parte comercial, e Lula Gouveia e Thiago Rodrigues, que dividem a criação com 20 colaboradores.

  • Marcio Kogan – studio mk27 #41/42

    R$231,00

    ou até 3x de R$77,00 sem juros

    Liderando o studio mk27, Marcio Kogan é um dos arquitetos que mais inspira a juventude e um dos projetistas brasileiros com maior visibilidade no exterior. Aos 66 anos de idade, ele atende a uma exigente clientela que demanda espaços residenciais e comerciais icônicos. Passados oito anos do primeiro volume publicado sobre a trajetória do mk27, a Monolito lança nova edição dedicada ao escritório. De lá para cá, a equipe dobrou de tamanho e se reestruturou; a demanda internacional se consolidou, permitindo que o estúdio atravessasse a recente crise econômica brasileira sem tropeço.

  • Centro de São Paulo #39/40

    R$231,00

    ou até 3x de R$77,00 sem juros

    Consumindo as paredes de taipa e tijolos, os edifícios de concreto solidificaram a morfologia da região central de São Paulo. Frutos de um longo boom imobiliário, ocorrido entre a Segunda Guerra Mundial e a construção de Brasília, eles fizeram os paulistanos enaltecerem a urbe como a “cidade que mais cresce no mundo”. Os volumes reorganizaram a região, mantendo-a como local de trabalho e moradia, a essência da cidade. Esse processo contou com a participação de arquitetos com estilos particulares e diferentes gerações e nacionalidades. O resultado foram várias referências e símbolos para a cidade, como os edifícios Esther, Copan e Itália. Além deles, contudo, mais de duas centenas de construções interessantes saíram da prancheta de mais de 100 autores – um patrimônio que há de ser prestigiado. Nas últimas cinco décadas, a verticalização foi desacelerada por leis e crises econômicas e a região perdeu sua relevância econômica; como alento, ganhou vitalidade cultural e social. Coloca-se então o desafio de atrair moradores de diferentes rendas e reconfigurar a região central de São Paulo, para que ela seja novamente o espaço mais importante da metrópole.

  • Bacco Arquitetos #38

    R$106,00

    ou até 3x de R$35,33 sem juros

    Com quase 25 anos de história, o escritório paulistano Bacco Arquitetos se notabilizou pela produção plural, que engloba desde equipamentos de infraestrutura urbana a clubes esportivos requintados. A trajetória da equipe é enriquecida pela formação diversa e pela personalidade complementar dos dois sócios-fundadores, que se equilibram entre dois núcleos da arquitetura paulistana: o da General Jardim, com produção mais festejada, e o da Asbea, mais eficiente e ligado aos negócios.

  • Burle Marx #37

    R$106,00

    ou até 3x de R$35,33 sem juros

    Tal como um cristal que reflete a luz em várias direções, Roberto Burle Marx (1909-1994) foi um artista multifacetado. Flertou com a música e as artes plásticas, e seus jardins lhe renderam fama internacional. Autodidata, compartilhava informações com leveza e densidade, ganhando inúmeros discípulos. Haruyoshi Ono (1943-2017), seu parceiro de prancheta mais longevo, manteve a empresa por 23 anos, após o falecimento do mestre. Agora, depois de sua morte, cabe aos jovens da terceira geração do Escritório de Paisagismo Burle Marx perpetuar o legado.

  • Mulheres arquitetas #36

    R$106,00

    ou até 3x de R$35,33 sem juros

    No Brasil, segundo pesquisa do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BR), as mulheres representam 61% da categoria. Entretanto, o protagonismo feminino é raro em prêmios, exposições, publicações e outras seleções que iluminam a produção. Esta incômoda discrepância ganhou destaque, pela terceira onda do feminismo, iniciada na década de 1990 mas que só recentemente impactou a disciplina. Para debater e compreender esse tema urgente, o Seminário Internacional: Onde estão as mulheres arquitetas? reuniu especialistas no Centro Cultural São Paulo.

  • Anuário 2016 #35

    R$106,00

    ou até 3x de R$35,33 sem juros

    O ano de 2016 se caracterizou pela polarização política, expressa, no Brasil, pelas manifestações contra ou a favor do impeachment de Dilma Rousseff, e, no exterior, pela eleição de Donald Trump e o resultado do Brexit. No âmbito arquitetônico brasileiro, a pior crise econômica da história congelou projetos e gerou demissões. Procurando flores no deserto, as realizações que se sobressaem são tema do anuário 2016. Outras boas novas vieram do exterior, como os três prêmios de Paulo Mendes da Rocha, que o consagraram como um dos profissionais vivos mais laureados

  • Humberto Serpa #34

    R$106,00

    ou até 3x de R$35,33 sem juros

    “Criação: único poder humano capaz de superar o tempo”. Essa frase de Humberto Serpa prenuncia a postura e, de certa forma, o mistério deste personagem que há cinco décadas habita o imaginário da arquitetura contemporânea mineira: bebendo em fontes norte-americanas e após ser influente professor, formador de discípulos importantes e autor de obras icônicas, como o edifício-sede do BDMG, ele abandonou o ofício aos 51 anos de idade. Esta edição é uma versão brochura do livro Humberto Serpa: arquitetura.

No products were found matching your selection.